Dez Youtubers Negras Empoderadas

Dez Youtubers Negras Empoderadas


O YouTube é a plataforma de filmes mais usada no mundo, com mais de um bilhão de usuários. Mas você sabia que entre os usuários há uma minoria de mulheres? A maioria dos filmes e acessos são do público masculino. No Brasil, as blogueiras ganham destaque no web site informando de moda, beleza, cultura ou sobre isto sua própria vida. As mulheres negras bem como estão no YouTube debatendo os mesmos temas e outros pertinentes ao recorte racial. Seu sucesso, todavia, não é o mesmo de youtubers brancas, como a feminista Jout Jout, que tem mais de 900 mil registrados em seu canal, como por exemplo, ou o fenômeno Kéfera, com mais de 8 milhões de registrados.



A mulher afrodescendente não é destaque nas redes sociais, nem em outros meios de intercomunicação, apesar de ser uma extenso parcela da população. Neste instante passou da hora de serem discutidos focos direcionados a estas mulheres. As youtubers a acompanhar são pretas empoderadas dignas de muita admiração. Elas têm voz para discutir os mais diferentes temas com qualquer um: o protagonismo é das mulheres negras, no entanto a maioria dos vídeos tem muito tema a ser explorado por todas as pessoas. Nós, mulheres negras, desde pequenas estamos acostumadas a enxergar mulheres brancas como representação de lindeza. Se a gente vê um penteado em um cabelo liso, nós o adaptamos pro nosso tipo de cabelo. O inverso não acontece.


Essa criança é uma fofa, domina a hora de ser engraçada e de dizer sério. Seus videos tratam de temas relevantes com muita leveza e excelente humor. A notoriedade da estudante de sociologia foi conquistada ao participar da organização engajada de uma campanha fotográfica feita por alunos da Instituição de Brasília, em que negros seguravam placas com dizeres racistas enraizados pela nossa cultura. No momento em que eu organizava a campanha fotográfica ‘Ah, Branco dá um tempo’, sofremos muitos ataques virtuais. Contudo de nenhuma maneira isso abalou nossa convicção.


Levamos o caso pra SEPPIR (Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial) e para o Ministério Público. E seguimos em frente. Logo em seguida resolvi começar a gravar videos pro YouTube. Mesmo sabendo que havia a alternativa de ser atacada novamente, em nenhum momento pensei em desistir por conta disso. Em conclusão, este é propriamente o objetivo desses ataques: me fazer parar!


Todavia não posso conceder este gostinho para essa turminha do mal”, conta Neggata. Monique também problematiza em textos jornalísticos e estimula a participação de mais mulheres negras pela web para que as questões feministas e raciais sejam cada vez mais discutidas. A estudante de ciências sociais é superestilosa, militante negra, feminista e idealizadora do canal Afros e Afins. Nataly é trançadeira e está a toda a hora com os cabelos em destaque, seja black, com dreads, box braids ou twists, a preta é uma inspiração. No Youtube, seus videos abordam assuntos significativas como a estética negra e moda consciente (brechós!).



Aluna e pesquisadora da Escola Federal de São Paulo, pra nossa sorte, a preta quer ser professora e vai ensinar muita gente a respeito do quão considerável são os recortes de gênero e raça nos estudos escolares. Eu adoraria que ela fosse minha professora de sociologia e você? Desculpem, mas essa é a preta com o sorriso mais lindo da relação! Gosto pessoas que conseguem tratar tópicos tão polêmicos com agradável humor, fica parecendo uma discussão entre amigas no bar. Essa é a cara do DePretas, um clima destemido e colorido que te faz observar um vídeo atrás do outro.


Ou, “eu Nunca Serei Magro?

Os dois motivos principais para começar o canal foram: notabilidade e construção de outras enredos. Eu, uma mulher negra de pele escura e com cabelos crespos, cresci sem me acompanhar e ainda continuava não me analisando, pelo motivo de mesmo no YouTube ainda é dificultoso encontrar mulheres em meu perfil. Assim, achei essencial entrar nesse universo para servir de inspiração pra outras crianças.


O segundo pretexto surgiu pela minha inquietação de ver temas sérias sobre relações étnicas e raciais restritos às discussões acadêmicas”, explica Gabi. O vídeo mais visualizado é de penteados pra gurias de cabelo crespo! Não é uma fofura? Nós bem como temos um álbum de penteados afro pra garotinhas por aqui no website. A mineirinha tem um site chamado Apenas Ana e trata principalmente sobre cabelo. Ana passou pelo transição capilar do alisado pro crespo e hoje sustenta um black lindíssimo que inspira muita mina.



Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *